Seguidores

domingo, 10 de janeiro de 2010



                                         Caspar David Friedrich - Mulher à Janela, 1822

Caríssimo,

Estou sentada à cadeira, olhos postos no infinito, com aquele meu ar de quem se sabe ter sido amada. O dia começou assim, com esta vontade de te enviar umas linhas, a despeito da distância que nos separa. Cheguei a pensar que não conseguiria olhar mais o mar sem chorar, pois as horas vazias me são um tormento; todavia os dias amanhecem e como tu sabes minhas lágrimas não são donas de minha vontade de viver.
Confesso que estou triste. Cheguei a arrumar minhas malas, pensei em ir ao interior, mas o sol insistiu em entrar-me pela janela hoje de manhã. Há uma claridade viva no lençol do céu descortinando este meu peito sofrido. Foram tantos momentos belos passados contigo, que embora sinta tua falta, há um calor em meu coração. Com certeza há uma vida lá fora desse meu mundo. Tu mo disseste na despedida. Tinhas razão. Meus olhos reclamam por flores debaixo da janela.
Uma loucura nosso amor! Fomos insaciavelmente amantes. Havia mundos nos separando e tu me vieste aqui com esse teu jeito romântico. E se falei em flores nas linhas acima é porque tu sabendo de minha paixão por elas sempre me enviavas uma, nos emoticons, em nossas conversas no MSN. Estou me distraindo falando em flores quando na verdade não posso esquecer-me de tua coragem de atravessar o Atlântico para vir ter comigo. Foi a maior declaração de amor que já recebi. Então nossos momentos deviam ter sido mesmo o que foram: loucos instantes de amor!
Estou certa de que os dias terão novamente seus encantos. O verde da mata, choveu ontem, parece-me com o tom dum lápis de cores que na infância eu sonhava ser a cor da esperança. Em cima do muro um gato passeia faceiro; os pássaros gorjeiam no cajueiro; no chão do quintal de minha casa formigas perdem-se no capinzal. Olho. Admiro a vida. Meu coração compreende que esta saudade tua não vai me impedir de seguir. Tu me és dentro d’alma o amor de minha vida. E se amo, só posso prosseguir minha caminhada. O ocaso virá, e estarei debruçada nesta janela ouvindo os cantos da noite. Talvez quando a lua acender seu candeeiro, eu dance meus olhos nas estrelas. Talvez eu te seja uma estrela distante, mas correndo dentro de teu coração. Talvez nos vejamos novamente um dia. Talvez.
Só não quero te ser uma lembrança melancólica. Meu peito tem tanta certeza de que nunca te esquecerei que sorrio num suspiro das recordações de nossos momentos. Beijamo-nos. Fizemos amor na madrugada. Conversamos baixinho segredando nossas vontades. Dentro de nosso mundo secreto no quarto inclinamos as horas do dia enquanto nos amávamos. Os sabores de nossos orgasmos ainda me vêm. Feminina eu me senti em teus braços. Mulher inteira. Amada.
Fico calada agora. Noto meu corpo pedindo teus beijos. A respiração já me acelera. Com a ponta dos dedos toco uma lágrima que desce mansa. Não te aflijas! Ela vem-me com um sorriso no coração. Esta emoção de ter estado contigo me seguirá dançando assim mesmo no corpo, gosto dela. Tantos olhares trocamos que te vejo aqui comigo! E sei que não vais embora de meu ser.
Mas tenho de fechar as linhas e calçar minhas sandálias rasteiras antes de pensar de ir pelo caminho. Tive a teu lado as horas mais belas na vida de uma mulher. Quero olhá-las e sentar na tarde da vida certa de que fui amada em teus braços. Tu estás dentro de mim.
Já me vou... sem um adeus... vou por aqui... antes que o dia me veja com um lenço nas mãos.

Meu beijo, o melhor.

8 comentários:

Chica disse...

Maravilhosa e comovente carta! beijos, tudo de bom,chica

Mel Redi disse...

Coisa linnnda!! Emociona a gente! Bj Mel

O Árabe disse...

Belo! Apesar de todos os "talvez" que traz o amor, é única a sensação de ter sido amado. :) Boa semana, amiga!

AFRICA EM POESIA disse...

BOM ANO

Rugido

Rugido forte
Rugido de Leão...
Leão verde, castanho ou amarelo
Animal...Rei...
Rei da selva...
Rei do Mundo...
Fazes inveja...
Fazes sofrer...
Mas és o nosso símbolo...
Símbolo nobre e corajoso...
E por isso...
Nós sofremos contigo...
Gostamos de ti...
Quando ganhamos...
E quando perdemos...
E no perder...
Ainda te queremos mais...
Pois aí sentimos o carinho...
De te confortar...
De te pagar devagarinho...
E dizer-te baixinho...
Amanhã, vamos ganhar!...

LILI LARANJO

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Em busca de leitores e de petrocínio para o meu blog, estou aqui para convidá-lo a conhecer "FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...", em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Professora e pesquisadora da cultura brasileira, acredito num mundo melhor com menos violência através do exercício da leitura e da reflexão.
O afeto e a educação continuam sendo o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o seu próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
Além disso, divulgar esse imenso país com suas belezas naturais e multiplicidades culturais têm sido outra de minhas metas, afinal ninguém pode amar aquilo que não conhece, não é verdade. Eu me apaixonei pelo Brasil aos 12 anos, depois de ler "O Auto da Compadecida", de Ariano Suassuna para fazer uma peça de teatro na escola onde estudava - Chicó foi o meu primeiro amor. Penso que falta ao povo brasileiro conhecer mais o seu país. Ultoimamente temos visto tantos escândalos na TV, dinheiro em mala, en cueca, em bolsa, escondidos até em meia...tanta gente passando necessidade e essa raça de políticos desviando milhões dos cofres públicos, deixando o povo a mercê da própria sorte. Uma total falta de respeito para com o seu país. Falta a essa gente o sentimento de pertencimento, afinal o Brasil ainda é o melhor lugar para se morar.
Bem, se você achar a minha proposta coerente, VAMOS TODOS JUNTOS NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR.
Atualmente moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, ruídos aqui só o canto dos pássaros, o Curupira,do Caruara, a Pisadeira ... vez por outra o Saci aparece aprontando das suas. Devido a localidade ser muito alta, o sinal que chega do meu 3G é muito precário, nem sempre posso estar online. Alé, disso tenho outro probleminha: os relâmpagos. Espero que compreenda as diversas limitações de quem escolheu viver no meio do mato e, na medida do possível, vou respondendo os e-mails que chegam e atualizando o meu blog FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Se você ainda não o conhece, dê uma chegadinha por lá, é só clicar no link em azul. Deixe para mim o seu comentário.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre e que os bons ventos soprem a seu favor neste ano de 2010 que se inicia.
Saudações Florestais !
Silvana Nunes.'.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Minha amiga,passei p/conhecer esse blog e te agradecer a visita ao meu e te falar da alegria q/o Acaso nos proporcionou ao juntar almas parecidas.É o milagre da net!
Espero q;possamos trocar idéias,pois,os amigos são o sal da terra e nos amparam nos nossos desencontros.
Para quem "começou agora",seu trabalho está lindo! bjs

Se7e/5 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marisete Zanon disse...

Que lindas cartas de amor...Parabéns! Tô seguindo...
esmaques pra ti!!!