Seguidores

domingo, 6 de junho de 2010

Caríssimo,

Há meses não recebo notícias tuas, mas era o esperado; tu mo disseste nos olhos (quando nos despedimos). Sei que pensas em mim mesmo assim, todavia por razões que são unicamente tuas, deixas-me assim sem uma linha escrita por tanto tempo.

Nota que embora haja certeza de que fui amada, levanto a hipótese de esse sentimento não existir mais de tua parte. Muitas vezes (os amigos bem o sabem), estive com papel nas mãos e tantas palavras saudosas de ti nos lábios – curioso – e não te escrevi. Medo de eu ser agora apenas uma doce lembrança?

Imagens de nossos beijos, de nossos momentos juntos atingem-me noites e noites. Nessas horas, devo existir tão somente para os sentidos que me são aflorados. Repito teu nome baixinho, cheia de carinho... E as cobertas acolhem meu corpo em chamas. Sei da cor de teus olhos, do sabor de tua boca e do som de tua voz murmurando que me quer. Então, perco-me em sonhos entre o real e o que deseja meu corpo.

O estranho é este peito cheio de amor para ti. Ainda és o homem de minha vida. Para sempre...

Muitos beijos, carinhosos beijos de tua,

flordecaju.


2 comentários:

Chica disse...

Maravilhosamente inspirada no amor essa tua carta,Flor!beijos,tudo de bom,chica

VASCODAGAMA disse...

AMEI
O amor é lindo

vou voltar

BEIJO