Seguidores

domingo, 13 de junho de 2010

Foto Google
Caríssimo,

Em minha saudade, vim conversar contigo.
Há um vulcão de pensamentos em mim; tantas perguntas!  Há de romper um raiar de sol... E fico olhando este céu azul, pintado de aves para todo lado.
Há uma beleza no firmamento: pulsam-me os sabores, os cheiros das tintas da vida. No entanto, canto teu nome como uma reza que tenho secretamente. E chamo teu rosto para passear com meus passos; tua voz para conversar com minha alma; teus mistérios para me prender.
A natureza se inflama de flores...  Embraseia –se de sol nas margaridas e o tom me convida a uma baile no amanhecer... Fico indecisa diante dos matizes... Minha boca encarnada de saudades da tua, quer sorrir no arco-íris do jardim silvestre que é o campo. Por aqui caminhamos de mãos dadas, trocamos nosso primeiro beijo e bem defronte do ipê amarelo, fizemos juras de amor_ eterno!
Um sabiá marcou encontro com as laranjeiras de meu quintal e vem todo dia numa seresta matinal! O som é melodia que me prende nesta saudade de ti!... Então, vim te dizer que...
... Desenho risos no céu com a tinta do nome teu.

5 comentários:

Anne Lieri disse...

Teresa,que carta magnífica!Uma maravilhosa e terna declaração de amor!Adorei!Bjs e boa semana!

Naty e Carlos disse...

A distância pode causar saudades, mas nunca o esquecimento."
Boa semana
Bjs

José Ramón disse...

Teresa Cristina Interessante graças blog para acompanhar os textos de reflexão e abstração.Cumprimentos ...

Lídia Borges disse...

Gosto muito deste mesclado de cor e sentir, Natureza e Ser

Belíssimo texto!

Zé Carlos disse...

Teresa, vc é uma querida, merece todas as cartas de amor!!!!!!

Bjs do ZC